Repórter SUS | 26ª edição do “Fiocruz pra Você” reforça importância da vacinação

Facebooktwitter

Cobertura vacinal da tríplice viral no país caiu nos últimos três anos. Recentemente, alcançou 57,19%, a mais baixa dos últimos cinco anos

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

21/10/2019

Presidente da Fundação Oswaldo Cruz reitera a defesa da vacinação como instrumento de saúde pública e um direito à população

Por Ana Paula Evangelista, para Brasil de Fato (RJ)

Em Manguinhos, zona norte do Rio de Janeiro, o “Fiocruz pra você”, evento com programação espalhada pelo bairro, voltada à saúde pública, com atividades culturais, feira de ciência, e campanhas de vacinação ocorreu no último sábado (19). Este ano, a campanha pretende reforçar a mensagem “vacina sim”, defendendo a vacinação como proteção individual e coletiva.

Em entrevista ao Repórter SUS, Nísia de Andrade, presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), explica que a vacinação deve ser vista como um bem para toda a sociedade, como um instrumento de saúde pública e um direito da população.

Apesar do papel importante na prevenção de doenças, tem se visto uma redução da cobertura vacinal no Brasil, estimulada por um movimento internacional de contestação da eficiência da vacinação. 

“Nós fizemos um papel muito importante na campanha de erradicação da varíola, na campanha da poliomielite e de outras doenças. O sarampo, com o número aumentado de casos esse ano, alarma a sociedade.”

A cobertura vacinal da vacina tríplice — que protege contra sarampo, caxumba e rubéola — não atingiu a meta de 95% nos últimos três anos, segundo o Ministério da Saúde (MS). De acordo com o último boletim, a cobertura vacinal está em 57,19%, a mais baixa dos últimos cinco anos. Só no período de 7 de julho a 28 de setembro deste ano, foram notificados 35.522 casos suspeitos de sarampo. Destes, 15% foram confirmados e 63% estão sendo investigados. 

A Fiocruz lança a campanha em prol da vacinação por sua responsabilidade de produzir vacinas e desenvolver pesquisas, conta Andrade. A Fundação é responsável pela produção de imunológicos de febre amarela, tríplice viral, DTP+Hib, poliomielite, Hib, meningite A e C, rotavírus e pneumocócica.

“Todos os fatores que dificultam a vacinação tem que ser trabalhados, desde a educação, comunicação, o funcionamento da atenção à saúde, e à vacinação na atenção básica, o funcionamento das unidades de saúde de uma maneira a facilitar esse processo de vacinação para a população”

O evento “Fiocruz pra você” contou com postos de vacinação, feiras de ciência e saúde, oficinas e apresentações culturais.

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.