ARTIGO | SPDM desiste do contrato de saúde na região de Pirituba/Perus

Facebooktwitter

Entrada do Pronto Socorro de Perus
Foto: Mandato Juliana Cardoso
20-08-2019

Em carta, Fórum de Saúde dos Trabalhadores da cidade de São Paulo questiona a atitude da Organização Social; 600 mil habitantes são atendidos pela SPDM em Pirituba e Perus

 

Por Juliana Cardoso*

De forma surpreendente, a organização social SPDM (Associação Paulista Para o Desenvolvimento da Medicina), que administra os equipamentos de saúde e realiza os atendimentos em Pirituba e Perus, comunicou a Secretaria Municipal de Saúde que está desistindo do contrato de gestão desta região.

A informação é do Fórum de Saúde dos Trabalhadores da cidade de São Paulo. Em documento, a entidade externa sua estranheza com a atitude da SPDM e se mostra bastante preocupada com a continuidade do atendimento de uma população de 600 mil habitantes.

A desistência está envolta de mistérios e enseja uma série de dúvidas. Os mais de 20 contratos de gestão da Prefeitura com organizações sociais de saúde na atenção básica (UBS e AMAs) se encerram entre 2019 e 2020 e consomem dos cofres públicos metade do orçamento anual da Secretaria, ou seja, cerca de R$ 5 bilhões.

“A SPDM assumiu o compromisso de prevenir doenças, manter a saúde dos moradores de Perus/Pirituba, assim como promover ações de saúde em benefício dessa população”, informa documento do Fórum. E questiona a “quebra de vínculos de atendimentos junto aos profissionais de saúde que os assiste diariamente”.

Ao final, o texto lança a seguinte indagação: “Quais são os motivos pelos quais levam a SPDM a querer fazer a quebra de contrato que só termina em 2020, sendo que os serviços da mesma são pagos com milhões de reais oriundos dos cofres públicos para um atendimento com qualidade à população?”

Uma oportunidade para entender o problema vai acontecer no fim deste mês. Na semana passada o mandato da vereadora Juliana Cardoso (PT) conseguiu a aprovação de requerimento na Comissão de Saúde da Câmara Municipal de São Paulo, convidando representantes da Secretaria Municipal de Saúde a prestar esclarecimentos sobre essa polêmica desistência.

Ficou deliberado ainda pela Comissão que a reunião sobre o assunto será realizada em 28 de agosto, para os quais também estão sendo convidados representantes da SPDM, da Supervisão Técnica de Saúde daquela região, do Conselho Municipal de Saúde e do próprio Fórum.

*Juliana Cardoso é vereadora (PT), vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, Adolescente e Juventude e membro das Comissões de Saúde e de Direitos Humanos da Câmara Municipal de São Paulo.

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.