Artigo | Espera por consulta com especialista passa dos 140 dias em algumas regiões de SP

Facebooktwitter

No Itaim Paulista, a espera é de 148 dias, em Itaquera, 129 dias, e em São Mateus é de 128 dias.

Foto: Paulo Pinto/ Fotos Públicas

4/05/2019

 

Dados da Coordenadoria de Epidemiologia e Informação indicam que a situação é pior na zona Leste.

 

 

Por Juliana Cardoso*

Um dos problemas mais recorrentes que a população enfrenta quando necessita de atendimento em saúde é a demora para conseguir passar numa consulta na UBS; e piora quando seu problema requer um especialista. Reduzir o longo prazo de espera diante do tamanho da procura é um desafio permanente de gestores e gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS).

Um desafio que não está no horizonte da gestão Bruno Covas (PSDB) na cidade de São Paulo.

É o que demonstram os dados divulgadas sobre o tempo médio de espera por uma consulta na atenção básica (médico da família, clínico geral, ginecologista/obstetra e pediatra), além do prazo médio de espera por uma consulta na atenção especializada (ortopedista, cardiologista, urologista, endocrinologista etc) na rede municipal de saúde.

Os dados disponibilizados pela Coordenadoria de Epidemiologia e Informação (CeInfo), órgão da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, indicam que em 2018 o tempo médio de espera por uma consulta na Atenção Básica na cidade foi de 32 dias.

Até três meses

Esse tempo se apresenta de forma bastante diferenciada pelas regiões. Com 87 dias, ou quase três meses de espera, a região da Aricanduva/Mooca, registra o pior resultado entre as regiões da cidade. Na outra ponta está o Butantã que, com 16 dias de espera, ostenta o melhor índice da cidade.

Já os dados sobre o tempo médio de espera para consulta com especialistas são ainda mais longos e desesperadores. E o pior. Eles apresentaram retrocessos em relação ao ano anterior. Em 2017 esperava-se, em média, 73 dias para uma consulta de especialista. Já no ano passado esse tempo aumentou para 85 dias (aproximadamente três meses) na cidade.

Cinco meses de espera

Se na cidade em geral o dado já é bastante preocupante, em diversas regiões da zona Leste a situação beira o descaso. No Itaim Paulista, por exemplo, o cidadão tem que esperar 148 dias pela consulta (5 meses). Em Itaquera, o tempo de espera é de 129 dias e em São Mateus é de 128 dias (4 meses).

Levando em conta os prazos de uma pessoa que passe numa consulta da atenção básica e depois seja encaminhada para uma especialidade, ela totalizará 117 dias (quatro meses) de espera para passar por primeira vez com um médico especialista.

Esse é o resultado da perversidade da política do prefeito tucano Bruno Covas, que vem impondo restrições orçamentárias na área da saúde. Mesmo com recursos em caixa, a gestão faz contenção de gastos, deixando paralisada e/ou abandonadas dezenas de obras de equipamentos de saúde necessários na cidade.

Essa política nefasta, de olho no calendário eleitoral, desrespeita a cidadã e o cidadão que peregrinam por um longo caminho de sofrimento para ter acesso a um cuidado de saúde adequado.

* Juliana Cardoso é vereadora (PT-SP), vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente e integra as comissões de Saúde e de Direitos Humanos da Câmara Municipal de São Paulo.

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.