Mais Médicos: Governo recua e lança novo edital para contratar profissionais

Facebooktwitter

Conforme publicado em Diário Oficial desta segunda (13), candidatos poderão se inscrever entre 27 e 29 de maio.

Foto: Saúde Popular

14/05/2019

 

 

Em fevereiro, governo anunciou preparar o fim do programa; 15% dos médicos ingressantes abandonaram os postos em três meses.

 

 

Por Redação*

O Ministério da Saúde lança um novo edital para a contratação de médicos do Programa Mais Médicos no próximo dia 27 de maio. Conforme edital publicado no Diário Oficial da União de segunda-feira (13), as inscrições se encerram dois dias depois, no dia 29 de maio.

De acordo com a pasta, o objetivo é contratar cerca de 2 mil médicos, com especialidades diferentes, para trabalharem em 790 municípios, inclusive em áreas de difícil acesso como aldeias indígenas, comunidades quilombolas e moradores de casas ribeirinhas isoladas e assentamentos à margem de rios. Regiões que ficaram sem médicos desde o ano passado com o fim do convênio com Organização Pan Americana da Saúde (Opas) e Cuba

Os profissionais recebem bolsa-formação no valor de R$ 11,8 mil. O edital dá preferência a médicos brasileiros, com registro do Conselho Federal de Medicina e títulos de especialista e/ou residência médica em Medicina da Família e Comunidade obtidos no país.

A nota, porém, já aponta estender as oportunidades, em um segundo chamamento público, aos profissionais brasileiros formados em outros países “e que já tenham habilitação para o exercício da Medicina no exterior”.

Recuo

Em fevereiro deste ano o governo Jair Bolsonaro (PSL) anunciou preparar o fim do Programa Mais Médicos. Três meses após assumir as vagas oferecidas pelos editais, cerca de 15% dos médicos brasileiros que se apresentaram para substituir os profissionais cubanos, deixaram seus postos de trabalho. Alguns especialistas já anteviam a desistência em massa, em razão do ingresso nas especializações e residências – normalmente ocorrem entre março e abril.

 

Edição: Cecília Figueiredo

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.