Repórter SUS | Dicas para um carnaval saudável

Facebooktwitter

Foto: HoliHo na Pixabay

4/03/2019

Médico também orienta onde buscar ajuda no caso de exposição a riscos durante os dias de folia.

 

 

Por Ana Paula Evangelista, para Brasil de Fato (RJ)

Quer cair na folia sem prejudicar a saúde? Para curtir o carnaval com saúde é preciso estar atento à alimentação, ter cuidados com a pele e se proteger das infecções sexualmente transmissíveis (IST/HIV e Hepatites Virais).

O Repórter SUS, programa produzido em parceria com a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio da Fundação Oswaldo Cruz (EPSJV/Fiocruz), traz para você as dicas do médico e especialista em Saúde da Família e Comunidade da Universidade de São Paulo (USP), Stephan Sperling.

Segundo ele, além da importância de sempre se hidratar nos desfiles de blocos e atividades de rua, é bom levar sempre a sua própria garrafinha, nada de compartilhar, para prevenir intoxicações. “Tomar cuidado com as substâncias psicoativas que são utilizadas. E, por ser um período que culturalmente se celebra mais a questão sexual, utilizar o preservativo em todas as relações. geralmente, as pessoas ficam preocupadas com o HIV, mas não podemos esquecer que há infecções causadas pelo ato sexual que estão atingindo populações cada vez mais jovens, como a Hepatite B e a Sífilis”, acrescenta o médico.

Ele também enfatiza a necessidade do uso do bloqueador solar não apenas para proteger a pele dos raios ultravioleta, mas também para evitar as picadas de insetos que transmitem as arboviroses –doenças causadas pelos chamados arbovírus, que incluem o vírus da dengue, Zika vírus, febre chikungunya e febre amarela.

“Nunca é demais recordar os principais serviços de saúde que podem acolher pessoas que estão com alguma questão, como intoxicação exógena, contato sexual de risco ou acidente no período fértil. As unidades de saúde estão disponíveis, os serviços de urgência e emergência também como referência para as pessoas procurarem se tiverem alguma dúvida”, orienta Sperling.

Vamos ouvir:


Edição: Cecília Figueiredo

 

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.