Assentamento do MST abre vaquinha virtual para formar jovem médica popular

Facebooktwitter

Escola Latino-americana de Medicina (ELAM), em Cuba, é considerada uma das maiores instituições de ensino de medicina do mundo.

Foto: MST

10/01/2019

 

Objetivo é financiar curso para que ela possa dar assistência às famílias assentadas em Guaçaí, no Espírito Santo

 

Por Marcos Hermanson, para Saúde Popular

A Escola Latino-americana de Medicina de Caracas abriu recentemente novas vagas para um de seus cursos, que se inicia em 2019. Com isso, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) do Espírito Santo decidiu enviar uma jovem para lá, com o compromisso de que, após sua formação, ela retorne e possa dar assistência aos moradores do assentamento Florestan Fernandes, em Guaçuí (ES).

Para financiar a viagem e os custos de estadia, os integrantes do Movimento abriram um financiamento coletivo na plataforma Catarse. A meta de arrecadação é de R$ 5.650, incluindo passagens de Guaçuí para São Paulo, São Paulo para Caracas, custos de estadia na Venezuela e as taxas cobradas pelo site.

A Escola Latino-americana de Medicina (ELAM), cuja matriz é cubana, é considerada uma das maiores instituições de ensino de medicina do mundo, com aproximadamente 19.550 jovens de 110 países matriculados. A formação dos estudantes é centrada na chamada Medicina da Família, cuja abordagem é mais humanitária e voltada ao atendimento de populações carentes.

Clique aqui para acessar a vaquinha do MST do Espírito Santo e ajudar a fortalecer a saúde popular.

 

Edição: Pedro Ribeiro Nogueira

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.