Campanha de combate à sífilis alerta para a prevenção e tratamento da doença

Facebooktwitter

Foto: Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais do MS

18/12/2018

 

Campanha Teste, Trate e Cure é realizada nacionalmente numa parceria entre o MS e a Universidade do Rio Grande do Norte

 

Por Fiocruz

Começou a ser veiculada a campanha Teste, Trate e Cure que tem como objetivo lembrar as pessoas sobre a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento da sífilis. A ação tem como alvo as gestantes e suas parcerias sexuais, e a população sexualmente ativa em geral e profissionais de saúde.

A campanha é realizada no âmbito do projeto Sífilis Não, uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Universidade do Rio Grande do Norte que tem como objetivo, entre outros, ampliar o acesso da população ao diagnóstico e ao tratamento na rede básica de saúde.

A campanha conta com cinco filmes criados para as populações prioritária (jovens, gestantes, população sexualmente ativas e profissionais de saúde) e um vídeo clipe protagonizados por Márcio Victor, percursionista e cantor do grupo baiano Psirico e Mc Rita, cantora mirim revelada no Youtube. Este material será veiculado no canal do Kondzilla: maior canal de vídeos da internet.

Além dos vídeos, a campanha conta com perfis em redes sociais que farão a interlocução das temáticas da sífilis, esclarecendo dúvidas e difundindo informações através de interação com os internautas. Na página oficial da campanha é possível encontrar todo conteúdo, além de complementos como o curso educativo específico para depiladoras. Neste curso estas profissionais são capacitadas a identificar sinais de sífilis em suas clientes.

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.