Profissionais da Odontologia lançam Carta pela Democracia

Facebooktwitter
Foto: Ricardo Stuckert
18/10/2018

Grupo suprapartidário destaca que candidatura Haddad é a única que incluiu ‘Brasil Sorridente’ em programa de governo, declara apoio ao SUS e aos direitos sociais

 

Por Redação

Professores, profissionais, estudantes, pesquisadores e técnicos da área de saúde bucal lançaram manifesto em apoio à candidatura de Fernando Haddad neste segundo turno. O grupo, que reúne centenas de assinaturas dos mais diversos estados do país, como Gilberto Pucca Jr., ex-coordenador nacional de Saúde Bucal do Programa Brasil Sorridente, durante os governos Lula e Dilma, é suprapartidário e se diz movido pelo “interesse público e a certeza de que somente com serenidade e tolerância poderemos superar a grave crise institucional em que o país está mergulhado”.

“Julgamos que não podemos nos omitir e manifestamos nosso apoio à candidatura de Fernando Haddad como a que hoje mais diretamente representa os valores que defendemos. Como profissionais da saúde bucal não podemos deixar de observar que Haddad foi o único candidato que incluiu a maior política pública de saúde bucal do mundo, o ‘Brasil Sorridente’, em seu programa de governo e que declara publicamente seu apoio ao Sistema Único de Saúde”, afirma um dos trechos do documento.

Para os signatários, “a violência e a intolerância não resolverão nossos problemas, nem agora nem no futuro”. E finalizam: “Nos unimos a todos os profissionais de saúde e aos cidadãos em geral na defesa das liberdades democráticas, tão arduamente conquistadas, na defesa dos direitos sociais e políticos do povo brasileiro, na defesa das minorias e na defesa intransigente do direito de livre manifestação de opiniões e ideias, e condenamos toda forma de violência política, seja verbal ou física”.

Acesse a íntegra da Carta dos Profissionais da Odontologia pela Democracia

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.