Anvisa aprova novo tratamento para hemofilia B

Facebooktwitter

O medicamento substitui de forma eficaz o fator ausente para parar o sangramento, e proporciona intervalos de administração mais longos.

Foto: Arquivo Agência Brasil

10/10/2018

 

 

Idelvion também controla e previne sangramento em cirurgias

 

 

Por Redação*

A Anvisa aprovou um novo produto biológico para o tratamento e a profilaxia de sangramento de pacientes com hemofilia B, que é uma deficiência congênita do fator IX. O medicamento também controla e previne sangramento em ambientes cirúrgicos. A informação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) esta semana.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o Idelvion (alfa-albutrepenonacogue) é uma proteína purificada produzida por tecnologia de DNA recombinante, gerada pela fusão genética de albumina recombinante com o fator IX de coagulação recombinante. O medicamento biológico substitui de forma eficaz o fator ausente, que é necessário para a hemostasia, e fornece intervalos de administração mais longos. O registro foi concedido com base na RDC n. 55/2010.

Hemofilia

A hemofilia é uma doença hemorrágica hereditária ligada ao cromossomo X, caracterizada pela deficiência ou anormalidade da atividade coagulante do fator VIII (hemofilia A) ou do fator IX (hemofilia B). A prevalência estimada da hemofilia, de acordo com informação divulgada pelo Ministério da Saúde, é de aproximadamente um caso em cada 5 mil a 10 mil nascimentos do sexo masculino para a hemofilia A, e de um caso em cada 30 mil a 40 mil nascimentos do sexo masculino para a hemofilia B.

A hemofilia A é mais comum que a hemofilia B e representa cerca de 80% dos casos, segundo a pasta. O diagnóstico da hemofilia A é feito por meio da dosagem da atividade coagulante do fator VIII (hemofilia A) ou do fator IX (hemofilia B).

 

* Com informações da Anvisa

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.