Médicos Populares prestam apoio a grevistas em Camaçari

Facebooktwitter

Eles conversaram com os manifestantes, que bloqueiam a via Parafuso, na altura da via Cascalheira

Imagem: Coletivo Saúde Democracia

28/05/2018

Os profissionais de saúde devem fechar essa semana um cronograma de atividades em apoio aos grevistas

 

Por Redação, Saúde Popular

Profissionais de saúde que integram a Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares (RNMMP) e o Coletivo Saúde Democracia estiveram na manhã desta segunda-feira (28), na via Parafuso (BA-535), altura da Via Cascalheira, em Camaçari (BA), prestando solidariedade aos motoristas de transporte rodoviário em greve.

Além dos médicos generalistas, Silvio Medina e Miguel Depallens, a dentista do Coletivo Saúde Democracia, Dejanilda Luz, também esteve na atividade de apoio, que deverá desencadear nos próximos dias, segundo os ativistas de saúde, uma programação junto aos bloqueios de motoristas.

Viemos aqui prestar nossa solidariedade a esse movimento, que é um movimento muito importante. Um movimento que está pautando a vida que a gente quer para o nosso povo. Discute não só o óleo diesel, a gasolina e o gás de cozinha, que está afetando fortemente a segurança alimentar do nosso povo, que está cozinhando com álcool e com madeira. E o índice de queimaduras está aumentando. A situação é séria”, explica Silvio Medina.

O médico foi aplaudido pelos grevistas, ao relatar que vários profissionais de saúde de Salvador estão refletindo sobre como ajudar no atendimento à saúde dos grevistas. “Quero dizer que a gente não é a favor de ditadura nenhuma. A gente é a favor da democracia e achamos que a luta de vocês é uma luta democrática e a gente apoia”, completou.

 

Edição: Redação Saúde Popular

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.