Médica apresenta pesquisa sobre a tragédia de Mariana em conferência internacional

Facebooktwitter

Imagem: Cristiano Mascaro / Pedro Mascaro

06/11/2016

Clarissa Lages compõe a Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares e apresenta trabalho inédito durante 21ª Conferência Mundial WONCA de Médicos de Família

Por Juliana Gonçalves, do Saúde Popular
Neste final de semana, completa-se o aniversário de 1 ano do rompimento da barragem de rejeitos de mineração da Samarco em Mariana/MG, que riscou o distrito de Bento Rodrigues do mapa e afetou toda a bacia hidrográfica do rio Doce.

Caracterizada como a maior catástrofe socioambiental ocorrido no Brasil, a tragédia de Mariana também é marcada pela impunidade.

Em memória dos que faleceram e em homenagem aos que tiveram a vida alterada em função do acontecimento trágico, a Rede de Nacional de Médicas e Médicos Populares, representada pela médica Clarissa Lages, apresenta pesquisa sobre o assunto durante a 21ª Conferência Mundial WONCA de Médicos de Família neste domingo (06).

Clarissa, que atua na rede pública de Belo Horizonte, trará o relato do período em que integrou a brigada da Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares no local do desastre após a catástrofe e discorrerá sobre o papel dos médicos de família em tragédias.

A médica conta que chegou à Mariana 10 dias após o desastre. ” Meu papel foi de ajudar na realização de um diagnóstico situacional de saúde que seria entregue para autoridades da ONU e da Secretaria de Saúde de Mariana. Com o passar dos dias, vi tantos abusados acontecerem e logo senti que aquela situação realmente poderia ser negligenciada e até esquecida pelos nossos governantes. Foi então que tivemos a ideia de produzir também um vídeo que serviria além de tudo como uma forma de denúncia”, conta.

Para ela, a própria apresentação desse tema em uma conferência como a do Wonca é uma forma de dar mais visibilidade a esse pauta. “A apresentação desse trabalho foi outra forma que eu enxerguei de denunciar as mortes e a perda de diretos em Mariana”, conta.

Serviço
“The Role of Family Physician in Disasters and our experience in City of Mariana”
Dia 6 de Novembro – Domingo
Local: Sala 103 B, Riocentro – Rio de Janeiro
Horário: 11:00

Facebooktwitter

Um comentário sobre “Médica apresenta pesquisa sobre a tragédia de Mariana em conferência internacional

  1. Acho difícil acreditar que apenas 19 pessoas morreram no desastre. Não confio em políticos. Parecem que querem omitir (sempre) a verdade. Postei na época, no FB que consultassem o levantamento demográfico e os eleitores de lá, e depois confrontassem com os dados de óbitos.
    A “multa” é abstrata. Tem que haver um plano de ação para a construção de moradias. hospitais e escolas. Também para o comércio, que perdeu tudo. E que seja dado um prazo. O exército deveria ser chamado para ajudar (ou será que apenas existem para ajudar o Haiti?). Desesperança, é o que sinto. O Brasil é um país onde o futuro é sempre postergado. Uma pena!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.