Rede de Médicos Populares declara a apoio a candidaturas progressistas neste segundo turno

Facebooktwitter

10/10/2016

Os médicos populares destacam que o apoio “não significa cheque em branco”, pois eles irão manter a coerência em continuar lutando por um SUS de qualidade qualquer que seja o resultado

Da Redação

Atentos ao cenário de perdas em relação aos direitos sociais, a Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares declarou apoio a candidaturas do campo progressista neste segundo turno das eleições municipais. “Apenas a unidade no campo da esquerda, contaminando outros setores da sociedade na defesa intransigente dos direitos conquistados pelos trabalhadores e pelas trabalhadoras ao longo dos anos será capaz de evitar mais retrocessos pelo país”, destaca a organização.

A manifestação da Rede se direciona aos seguintes candidatos: Rio de Janeiro com Marcelo Freixo (PSOL), Belém com Edmilson Filho (PSOL), Recife com João Paulo (PT) e Aracaju com Edvaldo Nogueira (PCdoB). “É preciso barrar a sanha golpista e manter minimamente gestões de prefeituras comprometidas com os direitos sociais”, diz o texto.

Criada em 2015, a Rede de Médicos Populares reúne médicas, médicos e estudantes de Medicina de todo o país, organizada em mais de dez estados.

>> Confira a nota na íntegra:

A Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares e o segundo turno das eleições Municipais de 2016

O atual cenário da política brasileira é de resistência às medidas que tentam desmontar o Sistema Único de Saúde (SUS) e todos os direitos sociais. Após o golpe contra a democracia brasileira que retirou a presidenta eleita Dilma Rousseff do assento presidencial, sabíamos que o que estava por vir ainda seria pior. As propostas de Emenda à Constituição (PECs) 241 e 243, além de projetos como os Planos Populares de Saúde, demonstram como o direito à saúde pública gratuita, universal e de qualidade está sendo ameaçado em suas bases fundamentais.

Nestas eleições municipais os contornos do retrocesso estão absolutamente evidentes. As derrotas de candidaturas de esquerda historicamente comprometidas com o SUS em todo o país no primeiro turno foram muitas e desastrosas. O cenário para 2017 deverá ser de luta e de resistência para evitar o colapso do SUS e defender a vida das pessoas. Contudo, para a disputa do segundo turno que ocorrerá em algumas cidades, especialmente em capitais, urge a necessidade de que o campo progressista se unifique. Apenas a unidade no campo da esquerda, contaminando outros setores da sociedade na defesa intransigente dos direitos conquistados pelos trabalhadores e pelas trabalhadoras ao longo dos anos será capaz de evitar mais retrocessos pelo país.

A Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares – que congrega médicas, médicos e estudantes de Medicina de todo o país, organizada em mais de uma dezena de estados – é composta por uma diversidade de posições políticas do campo progressista e, diante deste cenário se pronuncia abertamente em apoio às candidaturas que unificam este campo nas seguintes capitais: Rio de Janeiro com Marcelo Freixo (PSOL), Belém com Edmilson Filho (PSOL), Recife com João Paulo (PT) e Aracaju com Edvaldo Nogueira (PCdoB). É preciso barrar a sanha golpista e manter minimamente gestões de prefeituras comprometidas com os direitos sociais.

O apoio da Rede a estas candidaturas não significa cheque em branco para tais candidatos e manteremos nossa coerência em continuar lutando por um SUS de qualidade qualquer que seja o resultado. Nos demais municípios onde haverá segundo turno, orientamos os membros da Rede ao apoio das candidaturas que expressem o máximo de unidade do campo progressista, com vistas a barrar o avanço do golpe, e que este debate se faça pelos núcleos da Rede.

As nossas cidades não estão à venda. O direito à saúde do povo brasileiro não será servido em balcão de negócios. A Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares conclama a todos e todas os defensoras do SUS para a resistência unificada contra os retrocessos perpetrados pelo governo ilegítimo e golpista de Michel Temer.

Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares

10 de Outubro de 2016

Facebooktwitter

2 comentários sobre “Rede de Médicos Populares declara a apoio a candidaturas progressistas neste segundo turno

  1. Muito bom este apoio.
    Além das capitais, uma importante disputa está se dando também em Vitória da Conquista – BA , com Zé Raimundo do PT, contra um candidato do PMDB, apoiado por toda a velha oligarquia nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.