Medicina cubana deixará legado para o Brasil, diz médico popular

Facebooktwitter

26/02/2016

Leandro Araújo destaca que o caráter humano da medicina ensinada na ilha caribenha trará novos aprendizados para o modelo praticado no país

Da Redação

O médico de família Leandro Araújo, que atualmente é supervisor do Programa Mais Médicos em Fortaleza (CE) e integrante da Rede de Médicas e Médicos Populares, formou-se em Cuba 2003 e conhece bem o caráter humanista da medicina ensina e praticada na ilha.

“Essa visão humana, de reconhecer a dor do outro e trazer para si será um legado grande do ponto de vista político e também da atenção humana e técnica que os cubanos vão deixar”, destacou.

Na avaliação dele, a experiência cubana no Brasil trará novos aprendizados em relação à forma como a medicina é exercida no Brasil.

Nesta edição de Relatos, ele fala sobre o período em que esteve no país caribenho e os preconceitos que enfrentou no retorno ao Brasil.

“Há uma resistência nos espaços que a gente vai. Viravam rosto para o lado e mudavam a forma de conversar”, relembrou. Leandro conta, no entanto, que esse comportamento logo se transforma quando os outros profissionais conhecem o compromisso ético e a competência técnica dos médicos formados em Cuba.

Confira o áudio completo do depoimento de Leandro Araújo para o Saúde Popular:

Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.