Oftalmologia e ortopedia estão entre as prioridades do Mais Especialidades, diz Chioro

Facebooktwitter

06/08/2015

O ministro da Saúde participou, nesta quinta-feira (6), de um bate-papo virtual com a sociedade por meio da plataforma Dialoga Brasil, recentemente lançada pelo governo federal

Da Redação

O ministro da Saúde Arthur Chioro disse, hoje (6), que as especialidades médicas de oftalmologia e ortopedia serão prioritárias no Programa Mais Especialidades. Ainda em elaboração pelo governo, o projeto foi um dos principais questionamentos feitos ao ministro durante bate-papo virtual na plataforma de participação digital Dialoga Brasil, lançada na semana passada pelo governo federal.

“Realizamos um diagnóstico nacional junto aos estados, municípios e regiões de saúde sobre as principais demandas do SUS [Sistema Único de Saúde] e que represente as necessidades da população. O programa contribuirá na expansão do acesso e qualidade do cuidado na atenção especializada utilizando a rede pública, filantrópica e privada, sejam serviços de saúde novos ou já existentes. Entre as áreas prioritárias, estão oftalmologia e ortopedia”, esclareceu.

Chioro também falou sobre a criação do Cadastro Nacional de Especialistas, cujo decreto foi assinado, na última terça-feira (4), pela presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de dois anos do Mais Médicos, em Brasília. A iniciativa, que já era prevista na lei dos Mais Médicos, tem o objetivo de quantificar o número de médicos especialistas no país, especificar de que áreas são e onde estão localizados.

“O principal objetivo é aprimorar o planejamento para formação e distribuição de novos especialistas, o que subsidiará a criação de novas políticas na área. Com o cadastro, saberemos onde são formados os especialistas, quais as suas especialidades e onde atuam”, explicou o ministro. O cadastro vai englobar informações do Ministério da Educação, do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, da Agência Nacional de Saúde Suplementar, da Associação Médica Brasileira e do Conselho Federal de Medicina.

Sobre o Mais Médicos, o ministro da Saúde, destacou a garantia de atendimento a 63 milhões de brasileiros e iniciativas que complementam o Sistema Público de Saúde (SUS). “Com as medidas que estamos tomando para abrir novas vagas de medicina e de residência médica, só em 2026 teremos o número de médicos previsto em nossa meta (2,7 por mil habitantes)”, pontou.

Dialoga Brasil

A saúde é um dos quatro temas prioritários para debate na nova plataforma digital e interativa do governo federal, o “Dialoga Brasil”. O portal também mantém um espaço para encaminhamento de propostas de qualquer cidadão cadastrado.

Durante o bate-papo, Chioro reiterou a validade das sugestões dos participantes e pediu que todas fossem encaminhadas para a plataforma. A importância da participação popular também foi destacada pelo ministro Miguel Rossetto, da Secretaria-Geral da Presidência da República, hoje (6), durante participação no programa de rádio Bom Dia, produzido pelo governo federal.

Segundo ele, várias propostas poderão ser implementadas do ponto de vista administrativo, muitas delas serão regionalizadas e algumas terão que ser submetidas ao Congresso Nacional. “O que queremos é esse contato direto. Várias dessas propostas vão se traduzir concretamente em programas para a população brasileira”, acrescentou.

Foto de Capa: Marcello Casal/ABr
Facebooktwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

São bem-vindas declarações que se proponham ao diálogo, defendam posições, que exponham ideias, dúvidas, sugestões e críticas. Não serão aceitos comentários sexistas, xenófobas, racistas, homofóbicas ou que contrariem princípios dos direitos humanos. A moderação também irá filtrar a comentários que incorram em crimes de ódio, incitação à violência e calúnia. Textos com propaganda comercial serão excluídos.